segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Dexter 1x05 Review - Sem fingir, sem esconder.


Ótimo episódio! Não teve tanta interação direta Dexter-ITK, mas foi importante para ligar algumas partes a outras e desenvolver histórias paralelas como a vida noturna de Dexter, seu relacionamento com a Rita e o do Batista com sua (ex) esposa.
Dexter novamente expressa seu almejo em ser ele mesmo o tempo todo, “fingir estar sozinho, isolado. Isso seria Libertador.” Mas como não é possível, ele vive sua vida fingindo, mas como Harry já havia dito, fingir um relacionamento é mais difícil do que o normal e, depois do passo da ‘Lara Croft’, no episódio passado, Dexter identifica que a Rita quer passar para um próximo nível de relacionamento, o qual ele diz não conseguir alcançar. Ela comenta a situação da Yelina, sua colega de trabalho, cubana, que chegou aos EUA, mas espera o marido. Eles chegariam aos EUA através do Coiote, um negociante.
Rita o pergunta se ele já quis muito algo, como a sua colega quer seu marido de volta, e Dexter diz que mataria por um Atari, quando criança. Sim, tenho certeza que você riu muito também, o próprio sabe que foi fracassada a tentativa de demonstrar a compreensão.
Sem saber que o marido da Yelina já estava morto, Dexter tenta usar de sua influência na polícia para conseguir alguma coisa, mas sem sucesso, então ele faz o ‘esforço’ de procurar o tal Coiote por conta própria. Enquanto isso apreciamos uma cena em que a Rita vai confortar sua amiga ao som de Photo Albums.
Em suas investigações ele chega a Jorge Castillo, um aparente vendedor de sucata. Sem muito esforço, e no decorrer do episódio ele confirma a culpa de Castillo e o encaixa no Código de Harry. Mas como a série não se baseia apenas nos fins, temos que destacar os meios. O famoso Slice of Life levou Dex a ajudar a espionar Castillo, enquanto isso nosso filósofo age mais uma vez: “Sozinho, sem fingir, sem nada para esconder.” É como ele se sente quando está no mar. Destaque para Dexter sempre tentando fazer alusão da vida de suas vítimas com a dele: “Ela não tem ideia de com quem está casada, talvez essa seja a chave para um relacionamento bem-sucedido.” – Dex sobre a descoberta que o Coiote é casado. Detalhe que a esposa do Castilho se encaixou no código, ela agia junto a ele no golpe contra os cubanos. Ele desvia do plano de matar apenas um e faz uma exceção a esposa. “As vezes você tem que arriscar.” - Diz ele sobre o desvio do plano. Na hora do ritual, Dexter tenta entender a relação dos dois, e chega a conclusão de que eles eram felizes pois partilhavam do mesmo sonho, seja qual for ele.
Dexter, ao saber da morte do cubano, e ao ver a Rita e sua amiga em luto se reconforta: “A inabilidade de sentir tem suas vantagens.”
Sobre o caso do ‘amigo’ do Dexter, a Deb ganha cada vez mais confiança dentro da homicídios por causa do caso. Ela tenta uma nova abordagem para fazer Tony Tucci se lembrar dos acontecimentos, ela sugere vendá-lo novamente, e graças a isso eles conseguem encontrar “Parcial fucking prints”, como diria a Deb, impressões digitais parciais. Um grande avanço nas investigações, mas nada bom para o jogo do ITK com o Dex.
O ITK ganha um novo suspeito: Mr. Perry, que segundo o Doakes, é apenas um maluco querendo brincar com a polícia... Mas cara de psicopata ele tem...
O Batista... O Batista... Dexter descobre a farsa do casamento. Depois de uma noite de farra, o Batista abusa na bebida e apaga, e seu bom amigo o leva para casa. Epic Fail! Aquela já não era mais a casa do Batista. Dexter, egocêntrico, gosta da situação: “De algum modo é reconfortante saber que eu não sou o único a fingir ser normal.”
Voltando a falar sobre o nosso serial killer e sua vida social, Dexter segue o conselho do Batista em ‘retribuir o favor’ da ‘Lara Croft’, mas como ele é totalmente sem jeito, ele escolheu uma péssima hora. Enquanto a Rita estava em prantos de choro com o filme de romance alugado, Dexter tenta agir, colocando a cabeça por baixo da saia da Rita. Agora, o que o telespectador faz em uma situação dessas? Ri ou chora? Enfim, o fato é que Dex se esforça ao máximo para tentar entender um relacionamento conjugal, sem muito sucesso, é claro.
No final do episódio, (talvez para não ficar tão feio e constrangedor para o protagonista), ele e a Rita parecem começar a se entenderem, quando ela o pergunta o que ele deseja na vida, e suas respostas se coincidem: “uma vida normal”. Destaque para a trilha sonora nessa hora: Hide your Tears.
 
por @Gabrielbarros42

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR