segunda-feira, 25 de abril de 2011

Review 2x08 - Morning Comes


Olá mais uma vez, fãs de Dexter. Podem dormir durante os primeiros 30min do episódio, pois este realmente começa fraco... O mesmo que vocês vêm acompanhando há alguns episódios, jogo de mentiras, ciúmes, manipulação, contendas, esquivas, desconfiança e o mais crítico: sem sangue. E é mais ou menos assim que o episódio começa.

Se por um lado é um saco ver a Deb e a Lila brigando como se fossem duas irmãs birrentas, é ótimo analisar o lado totalmente desprovido de hipocrisia da Deb, ela realmente é transparente, e não estou falando do fato de ela ser magra. Dexter bem que tem o pensamento sensato ao constatar que “Eu sempre trabalhei melhor nas sombras, é melhor ficar lá”... Lila está trazendo problemas de mais. Seria interessante ver os fãs definindo a Lila, mas ‘absofuckinlutely’ não haveria uma melhor que a da Deb: “Foi mal Dex, mas ela é nojenta! E pálida! Ninguém em Miami é pálido! Ela obviamente é uma vampira! Uma vampira inglesa peituda e nojenta!”

Falando na Lila, aquela english cow começa a se envolver com o superego do Dex, a ponto de conhecer seus amigos em uma partida de boliche inicialmente só para homens. Até que foi um tanto tranquila a partida de boliche, até que na saída, WTF? Jimenez, o assassino da Laura Moser, o senhor que Dex ‘intimidou’ há um tempo atrás o ataca e foge, felizmente Dex só teve um leve corte no braço.

Problemas ‘familiares’ à parte, Lundy começa a pegar firme no caso, como se alguma intuição e extrema inteligência o guiasse, e o pessoal do departamento começa a ficar p*** com ele, já que não estão acostumados a serem investigados também. Deb, Lundy e Batista vão fazendo conexões até chegarem a conclusão de que o BHB trabalha no departamento de polícia de Miami! É Dex, os laços começam a se estreitar... Bom, Lundy é realmente foda. Apesar de ser bom no que faz, não chega a ser um workaholic e consegue dividir tempo pro ‘bem bom’, no qual a Debra se inclui agora.

Dexter entende que enquanto o Jimenez estiver vivo vai atrás dele, seria um jogo de gato e rato, então Dexter resolve ser o gato da história e o mata. ATÉ QUE ENFIM, NÉ! Para um seriado sobre um psicopata serial killer analista de sangue, estava muito pouco sangrento o seriado. E a volta é triunfal! Nada de facas e facões, a escolha da vez é à lá leatherface, com uma serra elétrica, muita sujeira e sangue em todos os lugares.

Mais pro final do episódio a casa da Rita é invadida, ela então liga pro Dex pra saber se ele não havia entrado lá, o protagonista na hora sente falta de sua chave no chaveiro e liga para a polícia. Logo depois de certificar de que Rita está segura, ele vai até o apartamento da Lila liberando uns 5% de seu monstro. Dexter começa a ligar certas coisas, como o fato de ele ter sido atacado. Não poderia ter sido coincidência. Lila então confessa ter ligado para o rapaz, mas alega que foi no intuito de juntá-los de novo. “One thing is to fuck with me, another thing is to fuck with... my ex-girlfriend who hates me” Com esse pensamento Dex a segura e diz: “Fique longe da Rita. Fique longe de mim. Ou você verá o monstro”. Todo fã de Dexter certamente arrepia nesse momento, com a autoridade e intimidação com que a brilhante atuação de Michael C. Hall nos transmite.

Gancho para o próximo episódio? Bom, isso fica por conta do Doakes, que até agora estava muito quieto na história. O motherfucker invade o apartamento de Dexter e encontra os troféis, as lâminas de sangue. Façam suas apostas, o que vem a seguir?

Por: @Gabrielbarros42

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR