terça-feira, 1 de novembro de 2011

Review 6x05 - Angel of Death


Angel of death, o que esperar de um episódio como esse? Será que se refere à vítima do episódio passado? Um assassinato em massa, talvez? Uma espécie de genocídio bíblico mesmo.. não? Bom, vejamos. Começando o episódio com Dexter perto de um par de asas, acho que já começamos a entender quem é esse Anjo da Morte.

Uma característica abordada bem mais na primeira temporada, mas não deixando totalmente de lado nas subsequentes, é a superioridade de Dexter sobre a Deb. E ambos teoricamente trabalhado pelos ideais do departamento de homicídios de Miami, a série – e o livro também – destacam o conflito de Dexter em filtrar as informações que passa à Deb. Aquela dualidade entre “vou mata-lo pessoalmente” e “a Deb precisa desse caso” sempre está presente na série, e como tal, esta temporada não poderia ser diferente (até poderia, se a Deb ficasse mais esperta que ele haha). 

 (Sério, Olmos? Haha)

Examinando as asas, Dexter chega a Travis Marshall. Travis é Mestre e obcecado pelas obras do professor Gellar. Depois da especulação-spoiler não dá mais para assistir o seriado da mesma maneira. Aposto que todo fã de Dexter agora assiste o seriado procurando evidências que comprovem que Gellar não existe ou que desbanquem essa teoria. Gellar desapareceu do mapa há 3 anos, deixando tudo que tinha. Até mesmo pessoas muito próximas como a (gatíssima) Porter não sabem de seu paradeiro. A cena de Gellar deixando Travis por um momento para que ele pudesse falhar e perceber a necessidade do professor junto, e a cena do Gellar tomando controle da situação e fazendo o Travis atropelar o rapaz. Todas cenas que dão margem à teoria da não-existência de Gellar.
“Toda escuridão que você pensa ter dentro de você... Tudo que ela precisa é de um pouco de luz para mantê-la à margem.” Os diálogos entre Dexter e o irmão Sam continuam desconcertantes para Dexter. De alguma forma, ele se sente atingido pelo que Sam fala, e os diálogos não são cansativos, não são vistos como encheção de saco para Dex.
“Com ele não há medo, não há arrependimento.” Isso é argumentação de gente esquizofrênica, notavelmente! Confesso que pulei de susto quando Dexter pegou o Travis.. quando ele entrou no carro, achei que o Gellar fosse estar lá, mas não!
Pode parecer estranho, mas não é muito incomum isso acontecer. Pessoas ao redor do mundo personalizam outras. Personalizam quem elas gostariam de ser, é como se elas criassem algo externo para que fossem capazes de realizar coisas que não conseguiriam normalmente. Travis precisa de tratamento.


A confusão entre a Jamie e a Deb parece que não vai durar muito. AINDA BEM! Se eu quisesse ver tramas leves e desnecessariamente longas, eu assistiria Malhação. Deb, com a ajuda do Mike Anderson, conseguiu uma casa na praia, por um bom preço.
Falando em Mike Anderson, o que eu falei parece ter sido certo, mesmo. Ele é arrogante, sim, mas sabe seu lugar em uma hierarquia. Além do mais, sua visão é mais perceptiva que o normal. Ele é acima da média. Talvez isso faça com que ele tenha um olhar diferente em Dexter, e por não ter envolvimento pessoal como os outros personagens, isso poderia ser explorado, já que todos nós ficamos na tensão de Dexter ser ou não ser pego.
Scott Buck, precisamos ter uma conversa séria. Por quê eliminar o irmão Sam assim, desse jeito? Será uma nova e mais impactante maneira de atingir Dexter? Ou será uma forma de evitar que Dexter seja mais atingido?
Episódio fraco. O mais fraco da temporada até agora. Não pode perder o ritmo assim, Dex! Pra mim a trama Dex-Sam estava muito mais interessante que a Travis-Gellar. Vamos esperar mais do próximo. Die die, galera!

Por: @Gabrielbarros42

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR