quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Produtor executivo Scott Buck: "Nós finalmente puxamos o gatilho"


Aviso: Spoilers do último episódio de Dexter: Debra sabe! Mas o ama! Reaaalmente o ama. Na final de domingo de Dexter, Debra confessa ter um amor "não-irmão" pelo Dexter, e o pega no meio do ritual de assassinato do Assassino do Juízo Final. Abaixo o produtor Scott Buck conversa com EW sobre a sexta temporada, a última cena e o que pode significar para as duas últimas temporadas.

EW: Por favor me diga que aquela última cena não era um sonho ou algo do tipo
Scott: Não, nós finalmente o fizemos. Passou muito tempo e nós finamente puxamos o gatilho.

EW: A próxima temporada começará de onde essa acabou?
S: Nós certamente vamos começar bem próximo desse ponto, falando sobre tudo que aconteceu. Nós começamos essa temporada um ano depois e não faremos isso da próxima vez.

EW: Vamos voltar um pouco: Debra tendo sentimentos românticos por Dexter. Como surgiu essa idéia?
S: Na verdade é uma idéia que foi discutida na sala dos escritores anos atrás, começando na segunda temporada, porque sempre pareceu - que essa personagem estava apaixonada pelo seu irmão. E como Debra, nós ignoramos isso por muito tempo e continuava voltando, até que todos concordamos que estava no DNA da personagem, por causa do jeito dela. Parecia que era finalmente hora de atacar esse problema.

EW: É difícil imaginar Dexter sentindo o mesmo por ela
S: Eu acho que o Dexter nunca nem considerou esses sentimentos. Eu não acho que ele já tenha se sentido assim por alguém, exceto, talvez, um pouco por Lumen. Mas sobre ele se apaixonar por alguém, esse não é o tipo de pessoa que o Dexter é. Eu acho que o Dexter não acredita ser capaz de amar do mesmo jeito que a Debra sente.

EW: Como Michael C. Hall e Jennifer Carpenter reagiram à estória?
S: Foi tudo bem. Eles sabiam que seria um grande enredo, mas não tiveram nenhuma objeção ou coisas do tipo. Eles sabiam que era parte do programa, e são obviamente profissionais, seguiriam onde quer que as personagens os levassem.

EW: Tendo Debra como detetive, você pensou em fazê-la descobrir as coisas aos poucos ao longo da temporada ao invés de descobrir tudo de uma vez?
S: É como se ela estivesse descobrindo as coisas há anos mas não queria olhar para elas. Ela é uma detetive, é muito esperta, mas eu não acho que ela acreditaria que ele poderia ser um assassino. Mas sempre teve algo na cabeça dela dizendo que havia mais sobre Dexter do que ela sabia. Então acabamos logo com isso e abaixamos as cortinas de uma vez. Parecia mais divertido e interessante.

EW: Dex tentando manter o Assassino do Juízo Final para ele mesmo. Ele sempre faz esse tipo de coisa, mas passamos tanto tempo com a Debra nessa temporada que fez ele parecer mais "possessivo" que o normal. Vocês estavam conscientes disso?
S: Sim, foi um enredo muito específico para o episódio em que poderiam haver armas químicas envolvidas, aquilo poderia ser maior do que ele conseguiria lidar e ele teve que lutar entre desistir ou não. Então nós vimos um progesso no personagem de Dexter, ele se afastaria de sua própria necessidade para bens maiores. Claro que tudo deu a volta e acabou nas mãos dele mais uma vez.

EW: [Presidente de entretenimento da Showtime] David Nevins nos contou que os últimos episódios passam um enredo que nos levará ao final dos "jogos”. Você já sabe algo sobre os acontecimentos - incluindo o final?
S: Nosso final, não. Só existem algumas maneiras de terminar o show, e todos nós temos sentimentos sobre o jeito que deveria acabar. Tem bastante gente envolvida nesse momento e é questão da gente sentar e discutir como será o final do show. Estamos todos indo pela mesma direção, mas o grande final ainda não foi decidido.

EW: A próxima temporada terá outro "vilão", ou a descoberta de Debra mudará o formato do programa de maneira drástica?
S: Uma vantagem é que ainda temos umas duas temporadas até acabar tudo, então ainda podemos começar a trabalhar no final do "jogo". Nós ainda nem começamos a pensar em quem serão os vilões, mas estamos abertos quanto a mudança do formato do show. Nós não achamos que devemos nos prender a algo só porque fizemos o mesmo em temporadas passadas, mas também não queremos fazer algo só porque não o fizemos ainda.

EW: Quais são as metas para o enredo das próximas temporadas?
S: Dexter sempre foi um programa que é mais sobre os personagens do que sobre mudança de enredos. Nossa fidelidade é sempre mais forte ao personagem de Dexter Morgan. O que é o enredo mais satisfatório e honesto para Dexter levar nos próximos anos.

EW: O cara estranho do computador. Assumo que ele enviou a mão porque é "apaixonado" por serial killers e Dexter, ou tem algo mais que eu deveria saber?
S: Bem, ele não fazia idéia de que Dexter era um serial killer - pelo menos não que nós saibamos. Eu acho que ele tem esse estranho ódio/amor pelo Dexter, se prendeu a ele e está em busca de sua aprovação. Mas para ter mandado a mão, nós não temos idéia do tipo de mensagem que ele está enviando. No momento só podemos esperar e suspeitar de quem é esse cara e quais suas intenções.

EW: No final em cima do arranha-céu, nós devemos assumir que Dexter tinha uma agulha falsa preparada, por isso não ficou inconsciente depois de injetar em si mesmo?
S: Não era uma agulha falsa. Nós não respondemos essa pergunta, mas tínhamos a resposta, só era meio difícil colocá-la na sequência. Nós mostramos ele esvaziando a agulha momentos antes, mas não estava dando certo na produção. Tentamos colocar na narração, mas ficou estranho e incômodo.

EW: Não tiveram cenas de Harry no final. Qual é a quantidade certa? Quantas cenas são "muitas" nos termos do programa?
S: É uma linha fina. A gente sente que precisa dele. Eu sou um grande fã de James Remar, mas é um personagem que você precisa ter muito senso por ser uma fina linha assim. Às vezes é fácil demais colocar o Harry para que Dexter explique o que está pensando ou sentindo, quando existem maneiras mais artísticas de expor tudo.

EW: Há algo que tenha sido esperado nos comentários sobre essa temporada que você gostaria de dividir?
S: Eu acho interessante que as pessoas estejam apreensivas sobre o amor de Deb pelo seu irmão. Aquilo num programa sobre serial killers, é o amor que deixa as pessoa mais desconfortáveis. Nós fizemos uma pesquisa entre irmãos adotados: realmente existe, acontece e cria uma situação estranha.

Tradução: @venganzakills
Fonte: EW.com | DexterGR
   

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR