segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Review - 6x12 - This is The Way The World Ends (Season Finale)



Sinceramente não sei o que é maior, se é minha euforia por causa de mais uma season finale ou se é a depressão de esperar por mais nove meses pela próxima temporada. Como um final de temporada sempre levanta discussões sobre o que vem na próxima temporada, e polêmicas sobre os acontecidos com os personagens, eu resolvi fazer a review de uma maneira diferente. Eu comecei a escrever da forma normal e achei (wait for it) normal. No entanto esta não é uma ocasião normal, então minha inovação vai na estrutura. Resolvi dividir em tópicos específicos para cada personagem.

Quando eu vi o nome do episódio, no começo, 6x12 – Eletric Chair, logo eu pensei “O ITK cometeu ‘suicídio’, o BHB literalmente explodiu, o Skinner também ‘cometeu suicídio’, o Jordan Chase foi morto por não-investigados-vigilantes. Já temos um padrão: serial killers da temporada não são troféus, logo Travis seria encontrado pela polícia e pegaria pena de morte.” Mas depois de assistir ao episódio esta noite, eu percebi que na verdade é o início do fim, apenas.
De verdade, adorei o episódio, os minutos finais foram de tirar o fôlego por nove meses! É claro que como qualquer outra série, ainda mais depois de alguns anos de estrada, há a possibilidade de desleixos no mínimo estranhos como o colégio liberar o Harrison com qualquer um fantasiado de leão, ou como os relaxos do código de Harry. Mas é isso, é ficção e a série perdeu seu lado underground, agora contratamos um rapper e ganhamos seus fãs; contratamos o filho do Tom Hanks, que não preciso nem falar o que ganhamos com tal título.
Não sei por quê, mas começarei com a LaGuerta. Sério, wtf? Ela agora está apoiando e suportando a Deb? Em troca de quê? Minha teoria é ela restaurar parte da confiança da tenente, a ponto de que haja simpatia entre elas, não mais que isso. Isso pode eventualmente mexer com a cabeça do Matthews, no caso de a Debra tentar-se absolver para o Chefe de Departamento, contando que a LaGuerta foi quem denunciou. Pensem: Se a Deb contar a verdade, mas o Matthews ver uma ‘amizade’ entre as duas, obviamente ele deduziria armação delas. Para quem pensou que não havia mais filhadaputisse para a Capitão...
Batista & Quinn. Achei madura e responsável a decisão do Batista como sargento em sugerir transferência do Quinn da Homicídios. Joseph realmente mostrou intenção de reabilitação, mas já deu o que tinha que dar. O que o sustentava na série era a Deb, mas agora ela está apaixonadinha por outro cara... falamos nisso mais tarde.


Masuka. Mais uma temporada sem graça pro grande Vince. Sem grandes romances, sem grandes acontecimentos, revelações, desenvolvimentos na vida pessoal... NADA! Sim, eu adoro ele, mas vocês não se incomodam com a comodidade (possível cacofonia desproposital) dos escritores da série? Quando a Ryan chegou, achei que ela fosse arrasar o mundo dele, não só do pau dele, com o perdão da palavra. Quero ver pelo menos o caso do roubo das evidências estourar na 7° temporada. Isso faria com que Dexter relacionasse a mão à Ryan, e isso poderia ser interessante. Só mais um detalhe.. o que foi aquilo “training you must keep” com o Louis? Haha
Louis, Louis, o que você guarda para nós? Já vimos que a encomenda já está entregue, agora é só esperar Dex chegar em casa, provavelmente no 7x01. PROVAVELMENTE, por que depois do que aconteceu... ok, depois voltamos nesse assunto. Eu sei que é meio impossível ele não ter culpa no cartório e tudo mais, mas ele me convence. Não sei se é por que envolve assuntos do ITK, ou se tem algum outro motivo, mas acho ele pacífico, confuso, indefeso. Quero ver como vai ser a relação dele com o Dexter.
Jamie, ainda bem que você não morreu, você é a ligação do Louis com Dexter, assim como a Deb foi do ITK, além disso, alguém teria que cuidar do pequeno Harrison, certo?


Harrison. HARRISON, WHY SO FOFO? Apesar de eu sentir vergonha alheia dos efeitos sonoros de criança de 5-6 meses que colocam nas cenas do Harrison, eu acho que ele é um dos ‘bonds’ de Dexter. Na cena em que Dex estava sem perspectiva, à deriva, a única coisa que ele pensou foi no Harrison, assim como na 3° temporada, para se safar do Skinner. Vocês sabem que eu não me conformo com esse Dex pai, irmão, colega de trabalho, cheio de vida, paz, alegria e coisas boas para passar adiante. Eu parei na 1° temporada, na qual a Rita era apenas um disfarce social, ele não deixava de matar alguém para dar uma segunda chance nem nada. Enfim, não é isso que temos. Mas acho que a questão do ‘equilíbrio’ foi uma sacada imensa por parte dos escritores. A 6° temporada não foi sobre ter fé, não foi sobre se livrar do Dark Passenger, nem sobre salvação nem sobre apocalipse. A 6° temporada foi principalmente sobre equilíbrio! Dexter, depois de 6 anos, aparentemente chegou em um balanço legal. Parece que suas definições de justiça, escuridão, luz, morte e sacrifício foram atualizadas. Isso daria um embalo diferente nas suas atividades noturnas, no entanto isso será terrivelmente abalado pelo cliffhanger. Pulemos o assunto por enquanto, o importante é ter em mente que Dexter percebeu que ele pode ser pai e assassino ao mesmo tempo, sem ter medo de ‘contagiar’ o little Harrison com seu ‘dark passenger’. (O Harrison se assustando quando o Travis aponta a espada para ele? NÃO TEM PREÇO!)
O Travis fez pouquíssimas referências a Deus no decorrer da temporada, mas mais especificamente, neste episódio. Sua loucura me confunde! Hora ele sofre de transtorno de múltipla personalidade, sofrendo eventuais blackouts, hora ele é o mestre manipulador que apareceu episódio passado, agora ele é o cara mais perdido do mundo que trocou o Harrison pelo Dexter. COMO ASSIM? Não faz sentido! Se você pode ter a besta e o sacrifício, por que escolher entre apenas um deles? Eu esperava uma aparição final do Edward J. Olmos neste episódio, e não veio.


Dexter – O Todo-Poderoso-Dexter tem salvado mais pessoas do que o Batman, em sua trajetória. Ultimamente impediu um vírus na agência, salvou imigrantes, salvou-se... Ele deve usar aquela capa super-poderosa com que o Quinn apagou o fogo no episódio passado. Como já disse anteriormente, os impulsos de Dexter são lindos! Matando alguém fugindo do código, com pressa, é fantástico! Acho que esta temporada trouxe coisas importantíssimas preparatórias para o final! “Eu conheci pessoas que acreditavam em Deus [...] Eles nunca usariam sua fé como uma desculpa para matar pessoas, você usou Deus, não o contrário” Achei essa frase um tanto surpreendente, pois em momento nenhum ele negou a existência de Deus. Não importa pra ele, ele entendeu que no mundo tem que haver equilíbrio! “Luz não pode existir sem as trevas”.
O crescimento da Debra na temporada foi imenso e deu um gás para os fãs continuarem empolgados com a série. É lindo assistir alguns episódios da primeira temporada e comparar com a sexta, não parece nem a mesma pessoa. Esperamos a resolução do caso Matthews/LaGuerta na próxima temporada e o que mais mesmo? Ah é, tem ~aquele~ final de episódio, né?
Eu quase morri do coração! Quem acompanha meus tweets viu minhas teorias, e a da Deb está se realizando. Eu tinha certeza de que esse seria o cliffhanger da temporada, e que nos deixaria com gosto de PQP, E AGORA? As seasons finales se resolvem em cerca de 30-40min e o resto é apenas encaminhamento para o final mesmo. Essa chegou ao minuto 49 e nada de Dexter matar o Travis, eu senti aquela ansiedade tomando conta de mim, mas por um momento eu me esqueci de completamente da Deb e só conseguia pensar no Louis, que o Louis ia estar ‘assistindo’ o tableau final de Dexter neste ano, e que acidentalmente ele faria algum barulho e o Dexter o avistaria. Não sei porque pensei nisso, o personagem dele gera curiosidade em mim. 
Voltando ao título, achei fantástico! Na verdade não remete ao fim do mundo, apenas, e sim ao começo do fim de Dexter. Sinto arrepios.
Estou ansioso para ver as teorias do @murilo_grilo para a sétima temporada. Mais uma vez, desculpem-me pelo tamanho da review.. mas é season finale.

Ps.¹: Que malvadeza fazer o Harrison usar aquela fantasia quente em Miami!
Ps.²: Não citei o Anderson de propósito. Tinha algo para citar sobre ele?
Ps.³: A última frase do Dexter foi irônica, tendo em vista a temporada, “Oh God”. Haha

Acho que estou meio sem fôlego até agora. Que venha a 7° temporada!

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR