terça-feira, 2 de outubro de 2012

Review 7x01 - "Are you...?"


Apesar dos nove meses de espera pelo “Are you…?”, ainda ouço o “Oh, God!” ecoar em minhas lembranças, e acredito que falo por quase todos os fãs.
Eu queria ter a oportunidade de parabenizar pessoalmente os produtores executivos pelo trabalho neste primeiro episódio, realmente superou minhas expectativas. Fiquei muito feliz ao ver como a história começou a se desenrolar.

Com maestria vimos a fragilidade da Deb em relação a seu irmão, mas ao mesmo tempo a meritosa tenente Morgan tentava assumir o controle da situação. A dinâmica relacional entre os dois e frequência com que a morte de Travis tem sido tratada demonstra sabedoria, paciência e inteligência por parte dos envolvidos na criação da história.
A Jen Carpenter se mostra cada vez mais fantástica em sua atuação! Quem a via na primeira temporada não quase não a reconhece agora, mas basta um "fuck me twice a week" ou um "double douche" que a gente vê que a essência não foi perdida.
Confesso que tomei um susto muito grande quando comecei a ver o episódio! Eu sou muito bobo e não consigo perceber as perspicácias do roteiro, eu realmente achei que Dexter poderia sumir de Miami por um tempo. Depois me acalmei, e antes de ver o Viktor no aeroporto, me assustei novamente. A única coisa que eu pensei foi no Harrison.

Desde o fim da sexta temporada eu venho pensando como seria a desenvoltura da trama nesse ponto tão crítico e achei fantástica. Quando eu vi em alguma promo que a igreja pegaria fogo, eu realmente esperei que a ideia viesse do nosso serial killer. Foi muito sensato da parte dos escritores deixarem que Dexter controlasse tudo, visto que a Debra não estaria em condições emocionais de raciocinar direito. Talvez se ela se mostrasse pouco mais relutante em aceitar a proposta de cobrir as evidências, seria mais realístico, não sei. De qualquer forma, me agradou.
Pequenos pontos que me animam profundamente são os diminutos elementos que têm relação com temporadas passadas. Vimos na segunda temporada, logo após a Deb ter passado pelo trauma com o saudoso e adorado ITK, ela desencadeou uma rotina de exaustivos exercícios físicos, e isso é mostrado neste episódio também. Adoro esse diálogo com a história dos personagens!
Sobre a morte de Viktor, achei irresponsável e fere terrivelmente o código de Harry, mas eu gosto de ver o Dexter descontrolado e primitivo às vezes. E convenhamos, mexer com uma máfia pode ser muito perigoso, mas pode render vários passeios de barco.

*Eu senti a angústia de Dexter todas as vezes que ele conversava com a Deb*

 “Debxter” à parte, o episódio continuou muito bom. Mike Anderson é um personagem que não deixará saudade, mas que certamente poderia ser mais bem aproveitado no seriado. O, agora finado, detetive transferido de Chicago foi escolhido pela Deb pelo currículo impressionante, principalmente por conta da alta taxa de sucesso nas investigações. Talvez o pessoal de Sons of Anarchy tenha oferecido um cachê melhor para ele.
Batista tem perdido a característica do velho bom policial que se acha amigo de todos, Quinn tem perdido o atributo de pé-no-saco, são dois personagens jogados para escanteio. Se isso é bom ou ruim, eu só saberia se desenvolvessem papéis mais pesados para eles, por enquanto eu só posso cogitar.
A side story que mais me tem animado até agora é a com o Louis, e talvez isso se deva principalmente ao fato de que ele tem uma ~relíquia~ do ITK! Fiquei contente ao ver que Louis finalmente deu algum motivo para justificar a irritação de Dexter com ele, outrora gratuita. Eu me lembro de que da sexta temporada é de que Dexter tratava o Louis muito mal e sem motivo aparente, sendo que o padrão comportamental do Dex é sempre ser simpático, bonzinho e por vezes até parecer idiota perto das pessoas que ele não conhece.
Quero saber a opinião de vocês sobre a LaGuerta, mas acho que essa "treta" vai se culminar em um conflito com a Deb. A capitã sempre foi vadia com todo mundo, mas é notável a implicância maior dela com a Deb. Desde o começo da carreira da atual tenente, a LaGuerta não queria dar chance para ela no DP de homicídios, depois houveram vários fatos (minha memória não me permite relatar todos) que evidenciaram que a Maria não gosta MESMO da Debra, já a suspendeu injustamente por causa de um tiroteio, já tentou a intimidar, já tentou se fazer de amiguinha para dar conselhos errados, etc. Talvez agora seja a hora de elas se enfrentarem. Se a história realmente se repetir, vai ser algo como Lila-Dexter.
Veja: Doakes descobriu sobre Dexter, mas era inocente, não se encaixava no código. Sorte que a Lila deu "um jeito" no motherfucker; se algo semelhante acontecer nesta temporada, podemos esperar que a LaGuerta descubra sobre o dark passenger de Dexter e a Deb, mesmo em conflito, dê preferência à vida e liberdade de seu irmão, dando um "jeito" na capitã. Novamente, gostaria de saber o que vocês acham.
---
Expectativas

Espero profundamente que ignorem a psicóloga da Debra, finjam que ela nunca existiu. Que esse amor sexual não seja nem citado nessa sétima temporada. Como já me posicionei anteriormente e friso agora, esse argumento de que “eles não são irmãos de sangue” não faz sentido, porque há 30 anos eles são moralmente irmãos. As questões morais vão muito além das correlações genéticas. Hipoteticamente falando, se você descobrisse que a mulher que por 30 anos você achava que era sua mãe na realidade não é, haveria a possibilidade de um envolvimento sexual? Acredito que não.
A psicologia científica é unânime ao afirmar que o terapeuta é parte importante na comunidade verbal de um indivíduo, isso significa que qualquer coisa que for sugerida na sessão terá grande probabilidade de ter a aceitação do paciente.
Não é preciso ser psicólogo para poder fazer uma breve análise da vida da Deb. O círculo social dela é emprego e família. Se as merdas acontecem no emprego, onde ela descarregaria? Exatamente no Dexter. Então é claro que ela corre pra ele, é claro que ela o ama e que ele é seu porto seguro, mas isso não significa que ela queira dar para ele, não concordam?
Sobre os furos de roteiro, vou à igreja fazer campanha de oração para que nesta temporada os roteiristas tenham mais cuidado nos furos que tiveram na sexta temporada. Como a questão da falta de câmera no elevador de um dos maiores prédios em Miami quando Travis pegou Harrison.
---
No fim do episódio revelaram a pergunta “Are you...?” com classe! Com certeza é o melhor começo de temporada da série, certamente pode ser equiparado com a season finale da temporada passada e afirmo com certeza que os produtores terão MUITO trabalho para manter o nível da temporada!
(Ps.: O Harrison está cada dia mais fofo!)

Que venha mais!

Die die, Dexterous.

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR