quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Jennifer Carpenter: "A explosão no elevador é tipo o que senti como uma atriz"



A estrela de Dexter, Jennifer Carpenter, foi chamada para a Indiewire para discutir por que a sétima temporada de "Dexter" foi o mais difícil até agora e muito mais.

Foi refrescante vê-la em algo diferente para uma mudança! Eu estou acostumado a ver você investigar homicídios terríveis em "Dexter", ou lutar por sua vida em horrores como "Quarentine" e seu surgimento, "O Exorcismo de Emily Rose".
Estou tentando mudar isso um pouco. Estou tentando manter distância de Deb e da escuridão.

Será que isso realmente parece com um passeio no parque para você, comparado com o que você normalmente faz?
Honestamente, sim. É muito divertido. Sinto que a minha vida tem sido um pouco confinada por interpretar coisas em filmes e nesta serie "Dexter". É divertido para diversificar um pouco. Eu sinto como se tivesse guardado um monte de truques na manga por vários anos, e "Ex-Girlfriends" é uma boa maneira de mostrar um outro lado de mim.

Lembre-se, o seu personagem é o que passa pela pior ruptura ao longo do filme.
 [Risos] Com o mínimo de empatia.

Como foi que você se deparou com esse projeto? É um filme muito pequeno.
Eu costumo passar o hiato de "Dexter" em Nova York, em uma forma de equilibrar as coisas. Tenho amigos aqui, eu costumava ter uma vida aqui. Então, eu treinei em torno de Nova York planejando correr a maratona. Eu corri e meu gerente me mandou um roteiro, dizendo: "Você quer saltar nisto." Eu não sabia nada sobre o orçamento ou o elenco que Alexander tinha convidado para o projeto, mas eu li o roteiro e realmente respondi a ele. Eu pensei que era inteligente, a estrutura era interessante e o diálogo deixou um monte de espaço para atores interpretarem. Deixei bem claro que eu estava disponível, e cinco dias depois estávamos em um set juntos. E apenas decolou.

Minha necessidade de estar mais envolvida só cresceu. Eu assumi o papel de produtora executiva, quando eu percebi queria dar uma mão em ter certeza que ele estava recebendo muita publicidade e, eventualmente, distribuição. E por causa de Alex - dado que foi dividido entre ser um ator, escritor e produtor, eu queria ter certeza de que estávamos acertando nas cenas que realmente se somavam e que os que caíram no esquecimento (estávamos em um 14 - dia gravação), poderíamos deixar ir.

Eu tenho algumas participações na televisão agora, e se eu posso explorar isso um pouco para conseguir um pouco de atenção ao seu trabalho e talvez também comece a experimentar um novo papel na comédia, eu quero tirar o máximo proveito dela e certificar que o filme tem um pontapé.

Como é a curva de aprendizado que tem acontecido com o seu novo papel?
Bem, eu acho que só de solidificou uma ideia: você é tão bom quanto as pessoas que trabalham com você. Se você pode criar um ambiente onde as pessoas são convidadas a fazer o seu melhor trabalho e as melhores ideias sempre ganham, então o projeto em si vai ganhar. Houve tão pouco ego neste filme desde cima até embaixo.

Eu acho que a curva de aprendizado ainda está vindo, porque nós realmente não sabemos como irá funcionar. Optamos por lança-lo no iTunes em vez de tentar gastar mais dinheiro para obtê-lo em distribuição nacional. Queremos que as pessoas vejam, por isso queremos que esteja pronto para as pessoas em seus computadores, em demanda. Vamos ver como funciona. Alex e eu já estamos tentando descobrir o que fazer no meu hiato agora - estamos tentando conseguir alguma coisa imediatamente do nada. É um pouco de um vício, eu acho.

Voltando a Kate, a personagem que você interpreta em "Ex-Girlfriends" - foi uma luta para se relacionar com ela neste momento em sua vida? Você já passou por um casamento, enquanto que Kate só parece estar colocando seus pés na piscina do namoro.
Parte do que eu amo em "Ex-Girlfriends", eu acho que Alex está tentando colocar um holofote sobre um obstáculo que qualquer pessoa na busca de amor tem de encontrar. Acho que podemos olhar para isso e rir e ir, "Você tem um longo caminho a percorrer, meu amigo." Mas é importante que você entenda para o que é esta experiência.

Eu sinto que ela é um pouco mais rápida em sua descoberta, a medida que reconhece situações para o que são, não as deixando machuca-la e seguindo em frente. Isso é algo com o qual eu me alinhei, e espero conhecer melhor. Cinco dias antes de começar a produção, eu senti que a peça foi se abrindo para mim.

Indo para "Dexter"; Deb teve que lidar com muito  no final da sexta temporada, quando ela soube de atividades extracurriculares de Dexter. Do ponto de vista de um ator, como foi interpretar a percepção de que seu irmão é um assassino em massa?
Tem sido a mais complicada, desafiante, frustrante, emocionalmente cara temporada de toda a série. Depois vamos filmar um episódio que eu não me lembro de nada. Acho que fomos muito cuidadosos. Eu acho que eu era muito cuidadosa em não fazer proclamações inebriantes ou declarações sobre o que Deb fez agora uma coisa onde ela concorda ou ela alinha-se com Dexter, ou agora Deb não concorda com nada do que ele tenha feito. É sobre a escavação de ideias e informações - e processamento.

Isso é parte da razão pela qual eu pedi por uma cena no elevador onde eu xingo como um maníaco. Eu senti que o público precisava de um momento de privacidade com Deb para ver que ela não é uma máquina, que ela se esforça. Eu acho que a explosão no elevador é tipo o que eu senti como um ator - Eu estou no limite o tempo todo. É por isso que projetos como "Ex-Girlfriends" parecem um período de férias, realmente. Não exige nada a mais do que "Dexter".

Onde você vê a personagem indo na oitava temporada e na temporada final?
Aqui está o que eu sei, e eu não acho que é motivo de debate. Eu sei que ela está vivendo sua vida como ela própria. Ela não está mais vivendo sua vida por Dexter, porque ela estava apaixonada por uma ideia de quem ele era. Sua vida é sua. Então, agora, se ela já vai ter sucesso, em sua carreira ou em sua vida pessoal,  acontecerá agora. Se ela vai falhar, isto vai estar em suas próprias mãos.

De uma forma estranha, é o lugar mais perigoso que ela pode estar. Mas também é o lugar mais autêntico para ela estar. De agora em diante é sobre "o que eu quero que minha vida seja", não  “onde tem sido a minha vida."

Ouvindo você agora, é claro que você está extremamente ligada a Deb. Será que ela vai ser difícil de sacudir uma vez que a série termine?
Depende de como os escritores optarem por fechá-la. Eu acho que se eles não lhe escreverem um final feliz eu vou chorar por ela. Eu tenho vivido essa vida ao lado de minha por sete anos - o que vai ser oito, nove tecnicamente, porque levou um ano, durante o piloto e primeira temporada. Como você disse, eu tenho um monte de cabos conectados a essa pessoa. Ela é importante para mim. Eu não tenho transtorno de personalidade dividida, mas eu fui fundo para ela. Quero homenagear as pessoas que têm defendido dela, nossos fãs. Eu quero que todos saiam felizes, ou estejam satisfeitos.

Tradução: Aczia Ramos
Fonte: DexterDaily.com | indiewire.com

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR