quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Michael C. Hall: "Dexter vai ficar preso"




Michael C. Hall revela suas teorias sobre Dexter e sua própria dança ao longo da vida com a morte - tanto na tela quanto fora. O ator perdeu o pai quando tinha 11 anos, e teve seu próprio combate com a mortalidade, quatro anos atrás, quando, aos 38 anos - mesma idade do pai quando morreu de câncer de próstata - ele foi diagnosticado com linfoma de Hodgkin. (Hall está em remissão [da doença] desde então.) Michael C. Hall falou com Salon no início desta semana sobre sua brilhante trajetória mórbida na TV, as virtudes de interpretar um agente funerário tenso, e o destino que aguarda o mais prolífico assassino de Miami.




Após o episódio da semana passada, parece que Dexter poderia estar em um ponto ‘vai ou racha’ com seu amor da temporada, o serial killer com uma boa mão, Hannah. Matar o pai de sua namorada poderia realmente ser uma quebra de regras... Por um lado, eu acho, ele percorreu um longo caminho desde Rita, porque quando o conhecemos, ele estava se abstendo de sexo. Dexter vai ser capaz de sustentar uma relação amorosa?

Ele obviamente percorreu um longo caminho. Quando conhecemos Dexter, ele vinha sem a capacidade de emoção humana autêntica, e sem a capacidade de realmente entender ou apreciar o que a atração sexual causava. Então, ele está em um lugar agora que eu não poderia ter imaginado, e eu não acho que Dexter poderia imaginar tambem. Eu acho que para mover a história adiante nossos escritores se sentiram compelidos a mover Dexter em uma direção caracterizada por uma experiência mais rica de seu potencial humano e da emoção humana e tudo isso. Com Rita, essa relação foi caracterizada por certo grau de engano, de esconder. Para salvar essa relação depois do que ele fez com seu ex matando o ex-marido abusivo de Rita, ele fingiu ser um viciado em heroína e foi para Narcóticos Anônimos, e viu-se confrontado com uma mulher, Lila, que parecia ter um apetite pelo que ele estava escondendo do mundo, por seus impulsos ou características mais escuros. Eu acho que Dexter descobriu apesar de si mesmo que ele tinha um apetite próprio para a revelação.

Dexter faz afirmações sobre o que ele quer e não quer e quem ele é e quem ele não é, mas estamos destinados a ser desconfiados e ele não seja, talvez, o narrador mais confiável. E, apesar de tudo o que ele nos diz inicialmente, eu acho que existe nele um verdadeiro apetite para a conexão, por revelação, para a aceitação. E isto foi inicialmente explorado por seu irmão, o ITK, e acho que tem sido explorado desde então, principalmente em suas relações com as mulheres.Mas também no relacionamento com Miguel Prado, personagem de Jimmy Smits ', ou o assassino Trinity, John Lithgow.Mas se há algo que caracteriza muitas deste tipo de relações perigosas que são as mais intimistas para Dexter, é a menor carga de ocultação ou engano.Eu não sei se ele pode ter a relação que anseia.

Há alguma esperança para Dexter ter uma relação que é finalmente feliz, se não saudável? 
Eu não sei se há, dado o que ele exige em um parceiro, em termos de apetite - alguém que tenha boa vontade ou vontade de aceitar tudo de quem ele é. Se alguém fizer isto, então eles estão envolvidos em alguns segredos muito perigosos, e provavelmente tem alguns segredos próprios. Vemos isto no caso de Hannah. Há uma conexão com ela que é certamente legítima. Há um perigo real. Eu tive a experiência com outras pessoas no show, e eu certamente já tive com Yvonne Strahovski, que interpreta Hannah. Interpretavamos cenas e começavamos a rir, porque a relação que estavamos simulando parecia meio tradicional de uma forma, mas o contexto é tão além disso.

Eu só posso imaginar o anúncio pessoal: Eu gosto de jardinagem e passeios de barco, e compartilhar meus assassinatos. É muito cínico. Mas essa é a direção que a TV passou: Escritores tornaram-se tão apaixonado por esta convenção narrativa desses últimos 10, 15 anos, de dissonância cognitiva, fazendo-nos cair de amores com um protagonista sem lei, ou amoral. Claro, nós sempre queremos Dexter fugindo de qualquer crime, e você como ator vende isso. Por causa do que você traz para Dexter, entendemos sua motivação, você entende como isso acontece, e mentalmente desassocia com o lado mais obscuro do assassinato e pode racionalizar a sua sede de sangue próprio, dizendo: "Bem, ele está matando maus, pessoas odiosas". Ele é como o cara dos sonhos de Travis Bickle, limpando o “lixo” das ruas.

Sim, a história é contada de forma subjetiva, há a sobre-voz, por isso, estamos destinados a ver as coisas através de seus olhos. Embora eu ache que todo mundo pode se relacionar com impulso de Dexter na medida em que a maioria das pessoas iria confessar para tê-lo de modo fugaz. Em Dexter somos convidados a considerar e, talvez, identificar-se com alguém que é oprimido por esse impulso - para quem esse impulso é perpétuo. Ele não tem esperança, mas gerencia isso. É compreensível o suficiente, mesmo que o nível de gravidade esteja além de qualquer coisa que 99,9 por cento das pessoas experimentariam. O fato de que ele parece ter tomado alguma responsabilidade por esse impulso e focado no que as pessoas que mereciam sem dúvida nos convida a torcer por ele.

Com Deborah agora envolvida no segredo, é como se ela assumiu o fardo do espectador, tentando racionalizar o seu código moral, tal como é, junto com a gente. Exceto com ela, ela está se perguntando se ela poderia usar seu irmão como uma arma adicional em sua artilharia como uma aplicadora da lei. Ela é a única pessoa que ele foi capaz de confiar através dos anos. Cada temporada, Dexter é apresentado com uma pessoa que pega seu desejo de confiar, e se rebelar contra seu pai, que avisou desde que ele era uma criança a nunca confiar em ninguém. O que é um fardo para colocar em uma criança - é uma espécie de prisão perpétua, para condená-los a uma eternidade sem companhias.

É a coisa mais triste sobre Dexter, a forma como ele foi criado: Seu pai realmente focou no lado monstro de Dexter e trabalhou para que ele o aproveitasse ou controlasse, ou aumentasse, ou incentivasse, basicamente, fechou a porta de um apetite por quaisquer experiências mais tradicionais. Eu acho que quando nós conhecemos Dexter, no início da primeira temporada, ele está fazendo bem, porque o seu apetite para a humanidade ainda tinha de ser explorado. E é realmente só o apetite de Dexter para a coleta e revelação e aceitação que coloca outras pessoas em perigo.
  
Sua carreira na televisão toda tem se concentrado em morte, você passou de coveiro em "Six Feet Under" a serial killer.
Sim, eu estou do lado fornecedor agora.

E em ambas as séries, você foi assombrado por seu pai morto. Você perdeu seu pai quando você era jovem. Como tem sido para você a ser guiado pelos fantasmas de dois pais?
Eu nunca tive uma espécie de desejo consciente de, de alguma forma, me cercar de cadáveres com o meu trabalho, mas eu não posso dizer que é pura coincidência que eu me encontrei interpretando estes dois personagens. Mas eu sinto, ao mesmo tempo, que estes personagens me encontraram, tanto quanto eu os encontrei. Não era como se eu tivesse de escolher entre Dexter ou Fisher David e uma centena de outras coisas. Eles apenas tipo se materializaram no momento certo e eu os peguei. Mas, eu acho, eu provavelmente vá precisar de algum tempo longe desta década a mais da minha vida antes que eu possa apreciar o efeito que isso fez em mim. Tem sido uma constante. Eu sei que nós não gravamos a temporada 12 meses do ano, mas enquanto a bola ainda está no ar e está no horizonte, de alguma forma, nunca é completamente terminado em seu subconsciente. Somente quando Dexter estiver realmente colocado na cama que eu vou apreciar o que eu carregava comigo.

Eu posso imaginar que esses personagens arrastam-se em sua cabeça, e te mantém cativo e você desenvolve uma espécie de Síndrome de Estocolmo, onde você começa a se identificar com seu captor, e internalizá-los tão profundamente. Eu não posso imaginar como deve ter sido deixar David Fisher ir e então a transição para Dexter.
Com "Six Feet Under", nos foi dado um presente de uma forma, por Alan Ball. O show terminou com luto coletivo quando Nate morreu e pudemos todos, acho que no segundo para o último episódio, enterrá-lo e lamentar sua perda como atores, e como uma família de atores lamentar o que foi a perda iminente do show. E então todos nós temos de simular nossas próprias mortes, o que, eu acho, na verdade, realmente ajudou. Pelo menos no meu caso, isso realmente me ajudou a deixar o personagem ir, na verdade, filmá-lo morrer. Eu não sei se Dexter irá proporcionar essa oportunidade, mas isto, provavelmente, ajudaria o lado de luto. Tanto quanto David contra Dexter, às vezes eu me pergunto se Dexter é uma pessoa. Às vezes, ele se parece mais como uma idéia. David é mais compreensível em um sentido mais cotidiano, ele era único em seu caminho, mas acho que ele era mais um homem comum que Dexter. Quando recebi o papel de David, eu realmente me senti cobrada com a responsabilidade de acertar. Apreciei que David Fisher era um personagem exclusivo para nada. Você sabe, uma parte fundamental do tecido rico desse show - ele não era um personagem incidental, não era por acaso gay.

Você teve muito para lidar durante a sua permanência em "Dexter", nada menos do que, lutando contra o linfoma de Hodgkin. Foi catártico de estar interpretando um serial killer, enquanto você estava enfrentando a sua própria mortalidade?
A ressonância real não era tanto sobre o meu trabalho, mas minha vida, de tal forma que meu pai morreu de câncer quando ele tinha 39 anos, e eu descobri que eu tinha minha própria forma de câncer quando eu tinha 38 anos. Completei 39, quando eu estava sendo tratado; esta idade sempre foi uma espécie de limite que eu me imaginava cruzando. E, atravessá-la durante o tratamento criou uma sensação de perplexidade. Mas mais do que qualquer coisa me senti com muita sorte. Eu me senti muito sortudo por ter algo tão tratável como foi, ter isso em uma idade precoce, estar de outra maneira com boa saúde, ter bom seguro de saúde, ter o tratamento coincidindo com um hiato de trabalho, então eu pude me concentrar em fazer o tratamento e passar por ele. Eu tipo me arrepiava quando as pessoas diziam: "Você venceu o câncer." Eu não venci nada. Eu tomei uma combinação de quatro medicamentos de quimioterapia que efetivamente os enviaram em remissão, mas não venci nada.E as pessoas que morrem de câncer não perdem a sua batalha contra o câncer: Todo esse tipo de linguagem que me deixa louco.Eu não quero ser submisso, ou subestimar a sua importância, mas ao mesmo tempo eu sinto que foi tipo de quarto feito para o que eu precisava e com foco no processo cotidiano de passar pelo tratamento. E eu passei por ele, e felizmente funcionou. Você sabe, eu tive os membros da minha família que trataram com sucesso o câncer, eu tive membros da minha família que morreram com ele. Um número suficiente de pessoas na minha família teve câncer que, quando eu disse à minha mãe sobre isso, ela disse, "Bem, bem-vindo ao clube."

A série tem mais uma temporada. Você quer que Dexter seja apanhado?
Eu não sei. Eu imagino que Dexter vai ser pego de um jeito ou de outro. E com isso quero dizer, nós realmente podemos esperar que ele, neste momento, caminhe no pôr do sol? Ou saia sem uma mancha em sua consciência ou caráter? De certa forma, ele já está preso. Uma vez que Rita morre, ele é capturado. Uma vez que Deb está no seu segredo que ele é pego. E ao que ele está preso é o fato inegável de que a forma como ele se comporta tem um efeito sobre mais do que apenas ele e suas vítimas. Tanto quanto se ele vai para a cadeia, ou é condenado à morte, ou é atropelado por um ônibus ou o que quer que seja, eu não posso dizer. Mas acho que, de certa forma, estamos assistindo alguém lenta mas seguramente pego.


Fonte: darklydexter.com | dexterdaily.com
Tradução: @LollipopDesease

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR