sábado, 22 de junho de 2013

Exclusivo: Informações quentes que podem ser os 4 primeiros episódios da 8° Temporada de Dexter

Veja possíveis spoilers sobre que podem ocorrer nas 4 primeiros episódios futuro de "Dexter 8ª Temporada" em Continue Lendo...

O consenso geral é que Dexter chegou ao auge na quarta temporada, pela ótima performance do ator John Lithgow como o Trinity e pela morte de Rita. Enquanto é certo que a série teve seus altos e baixos na quinta e sexta temporada e nunca chegou ao grau de excelência da quarta temporada (ou um terço), esse espectador ainda sim achou muitas coisas para admirar, começando pela contínua atuação excelente do Michael C. Hall e um bom elenco. A quinta e sexta temporadas foram frustrantes certas horas, sem dúvidas, mas a série ainda continuou boa como sempre.

Na sétima temporada de Dexter, a série pegou seu brilho de volta. Criativamente, Deb sabendo a verdade foi um grande tiro no braço, e Jennifer Carpenter elevou muito seu jogo. A oitava temporada, a final, é tão forte quanto (ao menos nos quatro episódios que a Showtime disponibilizou). Mantendo um foco estreito na relação de Dexter e Deb, em conjunto com o trabalho excepcional de Hall e Carpenter, Dexter parece pronto para sair com uma nota alta.

Seis meses se passarem desde a morte da LaGuerta. Dexter está em um bom lugar. Ele está passando muito tempo com Harrison, de volta a liga de boliche, feliz no trabalho, e até em um relacionamento casual. Claro, estamos falando do Dexter, então sabemos que seu estado de conforto não pode durar muito.

Ao contrário, Deb não poderia estar numa forma pior. Ela deixou a polícia e agora trabalha como uma detetive particular para um rapaz legal chamado Elway (Sean PAtrick Flanery). Usando álcool e drogas em excesso, ela se jogou no caso de Andrew Briggs (Rhys Coiro), um canalha ladrão de jóias foragido da justiça (por pagar fiança para responder o processo em liberdade, porém não compareceu ao julgamento) e está tentando prender $500,000 em mercadorias roubadas. Deb não quer ter nada para fazer com Dexter, e os dois mal se falam ou se vêem, muito pelo seu descontentamento. Ele está trabalhando para tentar mudar isso, mas sem muito sucesso. 

Enquanto isso, a Polícia de Miami tem um serial-killer em suas mãos. Apelidado de  The Brain Surgeon (O Cirurgião de Cérebros [tradução livre] por remover um pequeno pedaço dos cérebros de suas vítimas com habilidade e precisão, o departamento pediu a ajuda da renomada neuro-psiquiatra e autor de best seller Dr. Evelyn Vogel (Charlotte Rampling) para ajudar no caso. Conhecida como "A psicopata dos segredos" (tradução livre), ela voltou de repente para Miami depois de muitos anos e parece feita com Dexter.

Acontece que Dr. Vogel e Harry (James Remar) têm um passado. E por isso exatamente os envolve e está interessada em Dexter, o que faz essa parte da história ser fascinante. Não está muito claro se ela é amiga ou inimiga, mas ela suspeita que o "O Cirurgião de Cérebros" é um antigo paciente. Dexter acaba gastando muito tempo com ela e os atores compartilham de uma grande harmonia. A caçada ao "O Cirurgião de Cérebros" é uma curta rotina que Dexter arranjou, mas parece uma boa desculpa para mantê-los juntos, então sem reclamações.

Da mesma forma que é convincente a luta de Deb para perseverar após ter matado LaGuerta, ela odeia Dexter e não tem muita vontade de viver. Ela está acabada com a culpa e seu comportamento é cada vez mais irresponsável. Dexter a vê se acabando e está desesperado tentando ajuda-la, mas Deb o culpa por destruir tudo que pensava ser bom em si. Carpenter é facilmente tão boa quanto ela sempre foi na série, vividamente retratando o desaparecimento de Deb e seu auto-ódio. As cenas entre ela e Hall, quando ele tenta salva-la e ela o ataca, são eletrizantes. 

Nós também vemos um outro lado do Dexter nessa temporada, ou ao menos um que raramente vemos. Ele está vulnerável e triste, e realmente sente falta de sua irmã. Esses episódios diretamente apontam se Dexter é ou não um monstro. Ele está fazendo um mundo melhor matando pessoas que realmente merecem a morte? Ele é capaz de ter um afeto real a seres humanos? Quão humano ele é? Ou ele é mal e destiando a destruir todo mundo que ele se importa? As subtramas não são tão interessantes quanto essa. Quinn (Desmond Harrington) está saindo com Jamie (Aimee Garcia) e há um atrito porque ela pensa que ele ainda sente algo pela Deb. Batista (David Zayas) é o tenente agora e pressiona Quinn para fazer o teste para sargento. Masuka (C.S Lee) talvez tenha uma filha adolescente. Nada disso é muito atraente.

Por sorte há um foco em Dexter/Deb e Dexter/Vogel, e essas partes da história são realmente boas. As performances são incríveis, um território fértil relatando a verdadeira natureza de Dexter e sua relação com Deb é compulsivamente explorada. Baseado nos quatro primeiros episódios, Dexter está caminhando para ter uma de suas melhores temporadas. Mal posso esperar para ver como ela irá acabar, e já sinto saudades.

Dexter estreia no domingo, 30 de junho na Showtime.


Fonte: shocktillyoudrop
Tradução: Gustavo Bove

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR