sábado, 22 de junho de 2013

Yvonne Strahovski: "Trabalhar em 'Dexter' é um dos destaques até agora"



Então eu assisti a 7ª temporada de "Dexter" há alguns dias atrás e não acho que você seja realmente Australiana. Seu sotaque americano é muito bom.
Bem, isso é uma coisa boa.

Quando você desenvolveu uma autêntica sonoridade no sotaque?
Venho trabalhando agora aqui por seis anos e conforme os anos se passaram fica mais fácil. Além disso, crescendo na Austrália estávamos muito saturados com a televisão americana e a cultura dos filmes, assim como uma criança eu estava familiarizada com o sotaque. Acho que a maioria dos australianos pode fazer algum tipo de sotaque.

 O que você pensa sobre o que tem acontecido até aqui?
Tem sido muito agradável para mim aqui. Profissionalmente, eu não estava aqui muito tempo antes de chegar da minha primeira série e tenho tido sorte o bastante para continuar trabalhando ao longo de seis anos consecutivos na televisão e no cinema.
Trabalhar em "Dexter" é um dos destaques até agora.

Eu realmente estou fascinado com sua personagem em "Dexter", Hannah, porque ela é meio boa, mas principalmente má. Você acha que ela é mais uma heroína ou mais uma vilã?
Subjetivamente, como a atriz que a interpreta, sim, ela fez algumas coisas terríveis no passado, mas acho que ela acredita que qualquer coisa que tenha feito tem sido justificada. Ela está tentando seguir em frente e fazer a vida por ela mesma. Ela teve pessoas em seu caminho e, embora queira continuar e ter uma vida inocente, isso realmente acaba não funcionando para ela. E objetivamente ela é uma espécie de garota manipuladora, mas é essa linha tênia em que você pode ver através dessa manipulação como um membro de audiência e esperançosamente também um tipo de simpatia por ela ao mesmo tempo.

Você e Michael C. Hall parecem ter uma grande química, especialmente em momentos fumegantes, como na primeira vez em que vocês ficam juntos e ele está prestes a matá-la, mas então vocês fazem sexo - isso é realmente intenso em muitos diferentes níveis. O que foi filmado lhe pareceu como?
Foi uma mistura de vulnerabilidade, estando naquela mesa nua prestes a ser morta, mas então se torna algo íntimo. Foi a minha primeira vez filmando uma cena íntima, então eu estava especialmente nervosa naquele dia, mas Michael sendo o profissional que é e saindo de uma série como Six Fit Under - ele teve que fazer muitas dessas cenas. Era como se eu estivesse andando de bicicleta para ele.

Você esteve recentemente em uma peça, Golden Boy, na qual pareceu ser um grande sucesso. Você gostou de ter trabalhado na Broadway?
Eu gostei. Encontrei lá um imenso desafio. Não tive realmente tempo para pensar a respeito porque estava muito envolvida com a 7ª temporada de "Dexter" em Outubro, então eu me mudei para Nova Iorque por quatro meses no dia seguinte e às 10h30min da manhã comecei o ensaio. Então nós tivemos este período de quatro semanas intensas de ensaios, que era completamente diferente para mim. Eu cresci fazendo teatro na Austrália e tenho uma companhia de teatro lá, então sei o que o teatro é e como funciona, mas não tive nenhuma peça nos últimos sete anos. Foi muito mais um choque para o sistema. Foi difícil, um papel desafiador com muitas camadas, mas nós fomos conduzidos por um extraordinário diretor, Bartlett Sher, que acaba de virar a produção num pedaço de ouro.

Além de "Dexter", o que há no horizonte para você? Você está procurando fazer mais
Broadway?
Eventualmente talvez mais Broadway. Isso seria demais. Tenho um filme para ser lançado em Janeiro do próximo ano, chamado "Eu, Frankenstein com Aaron Eckhart e Bill Nighy". Isso é algo emocionante que está por vir. Mas agora estou com os joelhos inteiramente em "Dexter”.

Fonte: Dexter Daily
Tradução: Bruna Rubin


0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR