quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Review 8x05 - This Little Piggy



Alguns episódios de Dexter parecem ter 25 minutos. Este foi um deles.

Já é o segundo ano que a série recorre a uma terapeuta para expor mais da vida interna dos personagens. Antes foi apenas com a Deb, agora com Dexter. Isso fortalece a ideia de que os recursos do seriado são apenas para convergir em uma maneira extremamente introspectiva de se fazer uma história. Vamos recapitular.


Ice Truck Killer – Brian Moser, seu irmão. A trama nos falou um pouco sobre família, escolhas e possibilidade de compartilhar seus segredos.
Miguel Prado – Este caso foi para provar para Dexter que não dá para ser um serial killer e ter um melhor-amigo. As coisas simplesmente não funcionam dessa maneira.
Trinity Killer – Já que não dá pra ter amigos, ao menos uma família de fachada dá pra ter? A vida do Arthur diz ao protagonista que não.
Lumen – Ajudar uma pobre alma desajustava faz alguém se sentir melhor? Isso pode dar um significado à matança?
Travis – Todos temos algum dark passenger, mas será que todos merecemos uma segunda chance?

Enfim, Dexter não é uma série que busca aprofundar nos métodos de perseguição e assassinato. Antes, poupa-nos de detalhes sórdidos que aparecem em reviews, comentários, twitter, facebook, mas na série que é bom, não. Eu demorei a entender isso! Mas sabendo dessa linha de pensamento, podemos inferir que a trama do cirurgião acabou com Yates (ou acabará em breve com algum outro), e que a Vogel não esconde tanta coisa assim por trás. Yates e Vogel apareceram para falar sobre família.

“Família é um fardo. Eles interferem, irritam, interrompem.” Em um universo paralelo, ao invés de conversas terapêuticas com a Dr. Vogel, Dexter e a Deb estão discutindo relação no Programa do Ratinho.


Eu não me assustaria se descobrissem um caso entre o Harry e a Vogel, porque papel de mãe ela já está fazendo e o Harry era pegador, como bem sabemos.

Este episódio ajudou a evoluir muito o relacionamento entre os irmãos. Eu realmente estava preocupado que prolongassem o mimimi que foi a 6° temporada. A Jen Carpenter é uma ótima atriz, mas estavam estragando o papel dela fazendo-a surtar todo episódio. A sétima temporada tem sido, aludindo à primeira temporada, “um calmo oásis no deserto da minha confusão”.

Apesar de eu me impressionar de a Deb ter “gostado” de ver o Dexter matando o Yates, prefiro pensar que essa aceitação foi justificada pela culpa de ter tentado mata-lo. Falando nessa cena...

Vogel é uma terapeuta tão boa que conseguiu exercer sua profissão no momento em que presenciava um assassinato. O que isso diz sobre ela? Será que foi um recurso do seriado para fortalecer a atuação da doutora como uma agente facilitadora da relação entre os irmãos, ou será que a falta de reações foi genuína da personagem?


Sobre as histórias paralelas, alguém mais notou que o Hamilton tem uma grande semelhança com o Harry? São muito parecidos, fisicamente, ambos estiveram envolvidos em um affair, ambos com proles no mínimo suspeitas... Na linha de argumentação da série, posso dizer que isso é mais um espelho para nosso serial killer favorito.

O que veremos no filho do Hamilton, é a lição que Dexter terá que aprender dessa vez. Contudo, como estamos na última temporada (chega de ensinamentos!) os produtores parecem querer unir essa história à principal – Vogel. Algum palpite sobre no que isso vai dar?

Eu ainda não entendi qual é a dessa vizinha de Dexter. Os comentários é que ela vai servir de gancho pra volta da Hannah... Não sei. A Jamie forçando Dexter a ficar no encontro, usando de argumento “você não sai com ninguém desde Hannah” foi absolutamente forçado da parte dela. Dexter está há 6 meses solteiro. Por que ela não se esforça assim para tentar arrumar uma companheira pro Batista? É por situações como essa que eu acho que os roteiristas não desenvolvem muito bem os personagens secundários. Jamie vive em função de Dexter. Harrison some quando é conveniente. Quinn até pouco estava servindo de informante do Dexter...

Já que citei o Quinn acima, achei bacana ele comandando uma reunião. Eu acredito na sua promoção. Acredito que podem acontecer algumas coisas que nos façam duvidar da promoção, mas que no final vai acontecer.

Confesso a vocês que dessa vez eu não me aguentei e vi a promo do próximo episódio, mas me abstenho de comentários. Quero saber a opinião de vocês sobre este episódio!

Die die, dexterous!


0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR